segunda-feira, 24 de julho de 2017

Por onde anda você?



Por onde tu andas?
Já não encontro teu olhar como antes.
Já não encontro mais teu sorriso.
Perdi meu paraíso.
Que antes encontrava em teu lindo sorrir.
Que antes encontrava no gracejo dos amantes.
Quando juntos jogávamos jogos insinuantes.
Quando sentia a essência do prazer.
Que exalava dos corpos deixando a alma à arder.
Por onde andas?
Que não mais te encontro.
Meu coração chama por ti, meu corpo clama por ti.
Cadê aquela paixão, que incendiava o corpo
e tirava a razão.
Cadê aquelas mãos que sem noção desnudavam
todas as emoções.
Cadê você, cadê o amor, cadê aquela paixão?
Não encontro você.
Nem as palavras de carinho.
O amor deixou de ser um jogo de prazer.
Passou a ser uma roleta russa 
onde o perigo ronda insistente.
Por onde anda você?
Preciso saber! 

(Cecilia-09/2008)
Código de texto: T1318787

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Rosas da paixão



Rosas vermelhas
Que simbolizam o amor
Que acalenta os sonhos.
Que traduz tanto ardor
Num coração sonhador.

Rosas vermelhas
Tingidas com a cor do fogo e rubi
Exalando no ar
Suave perfume de amor.

Rosas vermelhas
Entrelaçadas, com nós e
laços apertados
Feito um buquê de puro amor.

Rosas vermelhas,
Que desperta o desejo e o prazer.
Rubra gota de sangue, caída do coração.
E na boca apaixonada e sensual.
Tem a cor do desejoso carmim.

Rosas vermelhas.
Que enfeita e perfuma a cama.
Despertando o desejo,
Acendendo a chama da paixão.

Rosas vermelhas.
Mistura de amor e satisfação.
Mistura de essência e calor.
Mistura de corpos apaixonados.
Mistura do mais puro amor.

(Cecília-06/2008)

Código de texto: T1092694


quarta-feira, 19 de julho de 2017

Cinzas ao vento


Pedra Grande, cidade inteira a seus pés 
o vento cantando, e o sol intenso a brilhar.
E nesse recanto tranquilo e mágico que a natureza criou, 
você se transformou em milhões de pontos cintilantes.
Cada partícula de cinzas no qual você se transformou, 
foi levado suavemente pelo vento.
E recebendo os raios do sol, ia se transformando em 
milhares de borboletas coloridas que voavam pelo céu.
Nesse lugar lindo e imenso que quase se mistura ao
azul do céu, com certeza você vai continuar a voar 
entre nuvens de algodão e entre as pedras esculpidas 
pelo força da chuva e do vento.
Vai cantar e dançar com a brisa leve e perfumada. 
Fará parte do dia, da noite e do sol, 
e será arco-íris colorido depois que a chuva cair.
Flores nascerão por entre as pedras, e a vida vai 
permanecer sobre esses rochedos e assim como as 
ervas daninhas, e as flores, você também viverá.
Pois o espírito não morre nunca, é eterno e 
no espaço  e no tempo você se eternizou. 
 Reluzirá em cada raio de sol todos os dias.
Cada estrela do céu terá o seu brilho. 
A brisa será leve e perfumada como seu riso, 
você será a própria vida...

*In memoriam a minha filha.

(Cecília-03/2007)


Código de texto: T1103601



Cama vazia...



A noite me envolve em seus braços aveludados.
Uma brisa fria veio sussurrar ao meu ouvido.
Que mais uma noite você não vem pra mim.
Nossa cama está vazia de amor, vazia de sonhos,
Vazia de desejo e paixão.
Sinto falta do seu corpo junto ao meu.
Sinto falta dos seus beijos.
Que incendiavam minh’alma.
E me levava à loucura.
Loucura gostosa, compartilhada com você.
Loucura...
Sonho...
Fantasia...
Não importa qual era o nome!
Só sei que com você, me emaranhava em
doces sonhos e desejos.
Adormecia aconchegada em seus braços.
Embalada pelo compasso do seu coração.
Hoje me perco nas lembranças.
Que ainda me trazem, arrepios em meu corpo.
Recordação dos momentos vividos e jamais esquecidos.
Sua lembrança está viva em minha vida.
Está presente em nossa cama.
Sua lembrança, estará pra sempre tatuada em meu corpo.

(Cecília-06/2008)

Código de texto: T1052372

terça-feira, 18 de julho de 2017

Fica comigo amor

  

Fica comigo amor, 
aqui nesse lindo paraíso.
Me leva pra ver o mar,
me deixe nele te amar.
Me deixa sentir as ondas
acariciando meus pés.
Ondas cálidas, que me
fazem ter vertigens.
Que me tira o juízo,
só de imaginar...

Fica comigo amor, 
assim, na calmaria desse mar.
Que mesclam sussurros
e gemidos, perdidos na
leve brisa quase abafados 
pelo barulho do mar.

Fica comigo amor, 
no doce enlevo desse momento.
Onde me torno insana, 
com a minha alma enfraquecida.
Onde minha resistência voa
nas asas de uma linda gaivota.

Fica comigo amor, 
aqui nesse paraíso.
Entre beijos e suspiros,
entre o céu e o mar.
Num lampejo de paixão,
esqueçamos a razão.
Deixemos os sonhos voarem,
seguindo a cantiga dos ventos.

(Cecília-01/2009)
Código de texto: T1431584

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Pula pula na panela




Coloquei os grãos de milhos,
Dentro da panela.
Mas eles são tão travessos,
Logo começou a euforia.
Todos de roupinhas amarelas,
Um verdadeiro batalhão.
Rolavam pra lá e pra cá,
Na maior agitação.
Pula pula, na panela.
Pula pula, sem parar.
Está um calor danado,
Que não da mais pra parar.
De repente a panela,
Quietinha se tornou.
Ao destampar a panela,
Vejam só o que aconteceu!
Os travessos milhinhos,
Agora estavam branquinhos.
Iguais pedacinhos de algodão
E nuvenzinhas no céu.
Com um cheirinho delicioso,
Logo foram descobertos.
E as crianças felizes,
Se juntaram na cozinha.
E num piscar de olhos,
As pipocas foram sumindo.

(Cecília-08/2008)
código de texto: T1155830

Meus sonhos...



Meus sonhos são pedaços do céu.
São réstias de sóis,
São fitas de arco-íris,
São fiapos de ilusões.

Meus sonhos são pequeninos rios.
De água doce e tranquila,
Que corre feito um menino,
Querendo ganhar amplidão.

Meus sonhos são nuvens ligeiras.
Correndo atrás dos desejos,
Iguais os anjos dos céus!

(Cecília-08/2010)

Código de texto: T2469998